Publicidade
BANNER CHANCEY
Publicidade
BANNER CHANCEY
Vale do São Francisco, 20 de Novembro de 2017
Seja Bem Vindo
Postado em 22/05/2017 às 08:09
Mundo corporativo: Pessoas certas, no lugar certo

Por Guadalupe Braga

Podemos conceber acerca da ferramenta Gestão de pessoas por competência uma evolução do conhecimento da psicologia organizacional, adaptada a este panorama globalizado. Chiavenato (2009), admite que as pessoas passam a maior parte do tempo de sua vida trabalhando nas organizações, visto que a produção de bens e serviços não podem ser realizadas por sujeitos que atuam sozinhos, e sim em grupos. Dentro dessa lógica, concebemos a cada dia que passa a grande importância de posicionar os colaboradores certos no lugar certo.

Sabe aquele processo seletivo de uma empresa, em que você não foi selecionado? Pois bem, é preciso reconhecer que provavelmente o perfil requisitado da função não estava compatível com o seu perfil comportamental e técnico. Muito provável a probabilidade de gerar uma insatisfação no colaborador contratado ou na empresa que contratou, quando existe a falha na seleção. Uma vez que a porta de entrada da contratação é o processo de seleção por competência, caso ele falhe poderá provocar alguns desses sintomas nas organizações:

Falta de engajamento dos membros e insatisfação

O clima na empresa é ruim

Empresa não sabe onde quer ou como quer chegar

Absenteísmo

Faltas

Desmotivação

Nessa sequência, a psicologia Organizacional a luz da ciência do comportamento confirma que existe grande probabilidade de que o colaborador arruinará sua saúde mental podendo desenvolver: nervosismo, stress, crises de ansiedade, depressão, burnout. Campos et al. (2011).

O Psicólogo analisa as emoções, ideias e atitudes, apontando e sinalizando de forma com que essas capacidades sejam otimizadas com o capital humano.

Durante o processo de admissão e desenvolvimento profissional, o psicólogo tem um olhar capacitado a luz da ciência para:

  • Saber avaliar se o perfil comportamental do candidato equivale à sua função na área;
  • Saber avaliar se seus conhecimentos são determinantes para a área;
  • Saber treinar o candidato para uma função específica;
  • Saber avaliar o desenvolvimento do profissional dentro da organização;

Assim sendo, o resultado de um processo seletivo não apto, não é pessoal e sim voltado para uma contratação adequada e assertiva a fim de minimizar problemas para o crescimento da empresa e do colaborador.

 

 




Deixe seu comentário
Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do portal Vejalogo ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
*Nome
*E-mail
*Comentário

COMENTÁRIOS / 3 Comentários


marcelo de aquino
Postado em 25 de Maio de 2017 às 09:25
Texto muito esclarecedor!
stefania rodrigues braga
Postado em 25 de Maio de 2017 às 09:22
Excelente artigo! Parabéns
Patrício Silva Santos
Postado em 22 de Maio de 2017 às 09:23
Muito bom este artigo. Parabenizo os profissionais de psicologia que tem esse dom (que, na verdade, é um preparo lastreado em estudos e treinamentos) para identificar profissionais adequados para vagas disponíveis. Numa época de crise de emprego onde muitos tentam uma vaga no mercado utilizando até de "mascaramento" de capacidades e aptidões, esse trabalho torna-se fundamental, pois os custos financeiros e de imagem que são gerados por contratações inadequadas são altos e difíceis de calcular.
Publicidade
REFEA CENTER 2017
JUAGRO
© Copyright 2015 - Veja Logo. Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento ADOIS DIGITAL